Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Série B 2013’

No próximo confronto o Palmeiras enfrenta o ABC-RN, time na zona de rebaixamento há muito tempo. Teoricamente um confronto fácil, certo?  Pela classificação até parece que sim, mas se analisarmos a campanha do adversário de amanhã somente no returno teremos uma surpresa.

O Palmeiras continua reinando na série B com folgas, é o único invicto do returno e faz melhor campanha até aqui do que fez no mesmo período no turno. Abaixo uma tabela com as posições dos times considerando só os pontos do returno, em vermelho estão as equipes que o Verdão já enfrentou duas vezes na maldição competição.

É bom redobrar o cuidado com o ABC-RN pra não ser surpreendido e perder essa invencibilidade!

Returno_SérieB_2013

Read Full Post »

Hoje o jogo foi dele

Hoje o jogo foi dele

Em uma rodada em que viu seus perseguidores saírem derrotados de seus jogos, o Palmeiras aproveitou para vingar o jogo perdido de maneira injusta e descaradamente roubada no primeiro turno e abrir vantagem na ponta da tabela. O que mais se ouve nas transmissões e programas esportivos é que o Palmeiras já subiu, é questão de tempo para alcançar, realmente parece cada vez mais impossível deixar escapar o acesso e até mesmo o título indesejado, mas não é prudente começar com oba-oba.

Mal rolou a bola no primeiro tempo e Wesley mandou um petardo no ângulo do gol recifense, 1×0 com um minuto de jogo, a tarde que acabaria com 9 pontos de vantagem para o 2º colocado (a Chapecoense ainda tem um jogo atrasado no entanto) começava com bons auspícios. O Sport se incomodou com o gol sofrido logo na saída e foi pra cima, revidou com um chute igualmente distante e que só não entrou por intervenção de Fernando Prass, depois mandou bola na trave com a zaga tirando o rebote, parecia questão de tempo o empate; o Palmeiras por sua vez tinha dificuldade em concluir as várias jogadas trabalhadas, o último passe ou mesmo a finalização não estavam funcionando. Valdívia ainda desperdiçou boa chance batendo de esquerda para fora. A primeira metade terminou com placar favorável porém com a baixa de Alan Kardec, ele não retornou do vestiário devido a forte pancada no rosto sofrida nos últimos instantes do primeiro tempo.

Pra segunda etapa Gilson Kleina mandou Charles no lugar de Kardec e deixou a cargo de Ananias e Vinícius a responsabilidade principal pelos gols, não tinha cara que daria certo mesmo e Wesley chamou a responsabilidade mais uma vez em chute de fora da área, dessa vez rasteiro, 2×0 e o time puxou um pouco o freio de mão, o Sport não se deu por vencido facilmente e foi pra cima buscando pelo menos um empate, aos 35′ Rithely diminuiu de cabeça, os escanteios aliás foram um pesadelo durante toda a partida, se algum setor está deixando a desejar mesmo na série B é a defesa.

Com os três pontos conquistados e próxima partida no Pacaembu novamente, contra América-RN, a ansiedade não pode tomar de conta, mais alguns jogos e o inferno da segunda passagem pela B se encerra, espera-se que pra nunca mais se repetir.

Vamos às notas:

Prass – sem culpa no gol, fez pelo menos 3 grandes defesas – 9
Luiz Felipe – deixou a desejar na defesa, é sempre boa válvula de escape para o ataque, precisa caprichar um pouco mais – 7
Vilson – seguro, não é ele o principal problema da defesa – 7
Henrique – dessa vez até que esteve bem no combate, está devendo em posicionamento – 7
Juninho – esse não tem jeito mesmo, até o Wendell faz melhor a LE – 5
Márcio Araújo – enquanto esteve sozinho na proteção à zaga foi bem, depois com Charles ficou perdido – 7
Wesley – dois gols, ótimos passes, isso tudo depois de 3 apresentações fracas – 10
Valdívia – não foi o fator primordial para a vitória – 8
Ananias – não fez nada digno de menção e ainda perdeu um gol no fim do 2ºT – 6
Vinícius – se movimentou bastante, chama o jogo, mas falta mesmo é um pouco de afinidade com a profissão – 6
Alan Kardec – não teve nenhuma chance enquanto esteve em campo – 6

Charles – apareceu pouco no ataque, na defesa esteve bem – 7
Felipe Menezes – lento e pouco efetivo, parece escolher sempre o caminho mais complicado – 6
Eguren – entrou pra fechar a defesa, mal pegou na bola – 6

Gilson Kleina – poderia ter tentado o Caio pro lugar do Alan Kardec, mas a coceira de meter 3 volantes é irresistível – 6

Melhores Momentos:

PALMEIRAS 2 X 1 SPORT

Local: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data e hora: 21/9/2013, às 16h
Público e renda: 21.054 pagantes / R$ 729.525,00
Árbitro:
 Célio Amorim (SC)
Auxiliares: Helton Nunes (SC) e Rafael da Silva Alves (SC)
Cartões amarelos: Rithely, Pereira, Tobi e Felipe Azevedo (SPO); Wesley (PAL)
Cartões vermelhos:  Tobi, aos 20’2ºT (SPO);

GOLS: Wesley, a 1’1ºT (1-0) e aos 9’2ºT (2-0); Rithely, aos 35’2ºT (2-1);

PALMEIRAS: Fernando Prass, Luis Felipe, Vilson, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Wesley (Eguren, aos 40’2ºT) e Valdivia (Felipe Menezes, aos 28’2ºT); Ananias, Vinicius e Kardec (Charles, Intervalo). Técnico: Gilson Kleina

SPORT: Magrão, Tobi, Pereira e Vinicius Simon; George Lucas (Chumacero, aos 11’2ºT), Anderson Pedra (Aílton, aos 14’2ºT), Rithely, Marcelo Cordeiro e Lucas Lima (Oswaldo, aos 25’2ºT); Felipe Azevedo e Marcos Aurélio. Técnico: Geninho

Read Full Post »

Fim da invencibilidade

Fim da invencibilidade

O Palmeiras foi até o interior de Minas Gerais e não teve uma ‘boa’ atuação, acabando derrotado pelo BOA, tradicionalíssimo clube do cenário nacional. Mais uma vez Gilserley Kleinaburgo escalou o 11 inicial ‘torto’ para fazer a famosa ‘Valmir no Leandro’ quando estivesse perdendo e assim, quem sabe, virar a partida. Já faz tempo que vemos o esquema com 3 volantes fracassando e o 4-4-2 com 2 meias de origem resolvendo a parada no segundo tempo. Ia chegar um dia em que não conseguiriam virar, ou pior, sequer empatar.

Apesar de alguns jogadores que perfilaram para o início da partida não aparecerem habitualmente entre os titulares não pode-se dizer que o time hoje era ‘reserva’, uma vez que foram poupados apenas Fernando Prass, Juninho ( vejam só), Vilson e Leandro. Esse adendo antes de falar da partida em si é válido pois antes do jogo pudemos mais uma vez ouvir Paulo Nobre ao vivo na Band, e o presidente disse que o time do centenário é esse daí com algumas contratações pontuais, melhor não sofrer por antecipação mas, se não conseguem DESTROÇAR o BOA, o que farão contra os principais clubes na Série A 2014? Não temos que nos contentar com o velho discurso de ‘esses times jogam a vida contra o Palmeiras’, só o escudo do Palmeiras vaporiza a vida desses timecos, é inadmissível aceitar tal justificativa para derrotas na Série B. Se eles correm tudo que podem, os jogadores que defendem o Palmeiras tem que correr mais, jogar melhor, vencer.

Todo jogo começa 0x0. Hoje a igualdade saiu do placar muito rápido. Um tal de KARANGA testou para o fundo das redes de BRUNO (coincidências a parte…) logo aos 2 minutos. Daí em diante o que se viu foi um Palmeiras apático, desorganizado, incapaz de furar a retranca mineira, e não, eles não tem nenhum grande jogador na defesa, tampouco um estrategista de renome na casamata, são só o BOA mesmo.

Pra segunda etapa Gilserley Kleinaburgo tirou o famigerado 3º volante – e aqui precisamos destacar que o Eguren está se saindo um ‘Marcinho Guerreiro tipo importação’, não se justifica tanto alvoroço em torno desse volante destruidor – o uruguaio cedeu lugar para Mendieta e o Palmeiras foi pra cima, o time mineiro se deu ao luxo de retrancar e chutar pra onde o nariz estivesse virado, apostando em alguns contra-ataques, em sua grande maioria cedidos hora por passes errados de Márcio Araújo hora pelas infelizes subidas de Henrique ao ataque, apesar da pouca habilidade do zagueiro e da presença de 200 meias em campo houve momentos do jogo em que ele trabalhou como um 10, falhando miseravelmente, diga-se. Além de toda desorganização tática mais uma vez o time não pôde contar com Kardec, as raras bolas que chegaram para ele foram maltratadas pelo sujeito sem piedade. O Verdão foi para o bumba-meu-porco e insistiu até os 50′ do 2ºT, sem sucesso.

Quarta-feira tem a volta da Copa do Brasil, é bom ir para o Paraná com algumas coisas que deram errado hoje retificadas e tinindo, não custa lembrar que vencer este torneio é a única maneira de jogar umas partidas internacionais no ano do centenário.

Notas:

Bruno – incrível como apesar de não ter culpa no gol, basta estar lá e o Palmeiras perde – 6
Luis Felipe – participativo mas com baixo aproveitamento – 6
Henrique – com o rei na barriga no começo do jogo, errando tudo e entregando jogadas prontas para o BOA, depois resolveu que era meia – 2
Tiago Alves – passou despercebido na maior parte do tempo, assustou quando esteve com a bola nos pés – 5
Fernandinho – deve ter se assustado ao ser convocado pro jogo, nem lembrava mais como era – 4
Eguren – bateu, bateu, tomou amarelo, saiu – 2
Márcio Araújo – manteve o padrão de qualidade nos passes de lado e para trás, jogando de ‘Wesley’ foi péssimo – 4
Charles – outro que errou muito mais que acertou, só não saiu porque o uruguaio tinha amarelo – 4
Felipe Menezes – muito fraco, sozinho na armação foi nulo, quando apareceram outros meias destoou, bom chute no fim – 5
Ananias – ficou sobrecarregado pela inércia de Alan Kardec e falta de qualidade de Felipe Menezes, levou algum perigo mas não pode ser o responsável pelo ataque palmeirense – 6
Alan Kardec – quando apareceu pro jogo e teve algumas oportunidades furou, chutou torto, cabeceou errado… – 4

Mendieta – entrou para aumentar o poder ofensivo, até tentou mas ficou muito preso na marcação – 5
Ronny – é forte, chuta bem, corre  bastante, mas esquece de combinar com os outros o que é pra fazerem – 5
Serginho – há tempos não tinha chance de jogar mais que um punhado de minutos, hoje teve e não mostrou nada – 4

Gilson Kleina – mal na escalação, quando substituiu embolou o meio campo sem objetividade – 4

Momentos:

FICHA TÉCNICA
BOA 1 X 0 PALMEIRAS

Local: Estádio Prefeito Dilzon Luiz de Melo (Melão), Varginha (MG)
Data/Hora: 24/8/2013 – 16h20 (de Brasília)
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (RJ)
Auxiliares: Lorival Cândido das Flores (RN) e Leonardo Mendonça (ES)
Renda e público: Não disponíveis
Cartões amarelos: Petros, Marcelinho Paraíba (BOA); Eguren, Charles (PAL)
Cartões vermelhos: –
Gol: Fernando Karanga, aos 2’/1ºT (1-0)

BOA: Douglas; Petros, Ciro Sena, Tiago Carvalho e Airton; Rodrigo Souza (Marabá – 49’/2ºT), Betinho, Vinícius Hess e Marcelinho Paraíba (Juba – 36’/2ºT); Fernando Karanga e Francismar (Malaquias – 24’/2ºT). Técnico: Nedo Xavier

PALMEIRAS: Bruno; Luis Felipe, Tiago Alves, Henrique e Fernandinho; Eguren (Mendieta – intervalo), Márcio Araújo, Charles (Ronny – 15’/2ºT) e Felipe Menezes; Ananias (Serginho – 22’/2ºT) e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina

Read Full Post »

Um indesejado troféu está na alça de mira

Um indesejado troféu está na alça de mira

A vitória contra o São Caetano marcou a passagem de um terço do campeonato, e os 31 pontos amealhados são uma boa arrancada para o objetivo de subir tranquilamente e assim disputar a Copa do Brasil com mais dedicação e planejar 2014 com antecedência – o que nunca ocorre por estas bandas.

A pontuação podia ser até um pouco maior, caso o juizão da Ilha do Retiro não fizesse lambança aos 48 do segundo tempo e caso o time não desperdiçasse tantas chances contra o Guaratinguetá (a derrota para o América-MG entra na conta dos tropeços que o Palmeiras costuma dar). Mesmo assim, o aproveitamento de 79% até aqui deve ser suficiente para o acesso.

Mas e se as zebras começarem a pintar? Uma queda drástica de rendimento ainda pode impedir que o Verdão cumpra a menor das obrigações (a outra sendo o título)?

Para saber o risco que corremos, verificamos como estava a série B a essa altura desde 2006, ano em que ela passou a ser disputada nos moldes atuais. Veja o quadro abaixo (clique na tabela para ver em tamanho maior):

tabela

Em primeiro lugar, salta aos olhos que somente uma equipe que liderava a competição a essa altura fracassou: o Criciúma de 2007. Os demais podem até não ter sido campeões, mas ao menos subiram.

Também pode-se ver que, novamente à exceção do Criciúma-07, todos que lograram abrir cinco pontos de vantagem para o quinto colocado nesta rodada subiram. Que mais? Para os times que estão embaixo, uma esperança: o Atlético-PR do ano passado e o Mecão de 2007 conseguiram descontar oito pontos de desvantagem para comemorar no fim.

E claro que não dá para passar batido: o Palmeiras divide com o Vitória do ano passado a segunda melhor campanha da história da série B até aqui, com um ponto a menos que o Criciúma também do ano passado (e o título ficou com o Goiás!). Mas vale ressaltar que se a incrível Chapecoense vencer seu jogo atrasado supera a todos.

Enfim, a história mostra que só um time, nos primórdios do regulamento atual e sem o peso da camisa verde, teve um fim amargo após uma boa largada. Não há de ser nosso caso.

O retorno é uma realidade. Ainda virtual, que nos fará sentir angústia por alguns meses, mas quase inescapável. Centenário na Segundona, de jeito nenhum.

Read Full Post »

4x0 Oeste: o primeiro jogo pós-pausa já disse muito.

4×0 Oeste: o primeiro jogo pós-pausa já disse muito.

A pausa para a Copa das Confederações foi um período em que todos os clubes correram atrás de reforços (alguns, por outro lado, perderam jogadores) e puderam se dedicar à preparação física e técnica para o restante do torneio.

A rodada de sábado marcou o ponto em que metade das partidas foi disputada antes e metade após a competição. E o que vemos ao analisar a pontuação das equipes somente a partir de julho mostra que houve quem aproveitasse bem a parada, enquanto que outros perderam o passo.

No primeiro grupo destacam-se Palmeiras, Paraná, Guaratinguetá e América-RN, estes últimos em fuga da ZR. Já entre os que despencaram estão Joinville, Bragantino e São Caetano, que fecharam junho na metade de cima da tabela.

No caso do Verdão, pode-se dizer que a parada foi bem aproveitada em contratações; se Allan Kardec, Mendieta, Felipe Menezes e Eguren talvez não jogassem nos times dos anos 90, é inegável que para os padrões da série B eles devem ser suficientes. Sem contar, claro, Valdivia, até aqui o principal “reforço” da equipe.

Confira aqui a classificação no momento em que a competição parou e considerando somente os jogos depois da retomada.

Antes da parada

pre-copa

Jogos após parada

pos-copa

Read Full Post »

voltando...

voltando…

Num embate pra lá de recheado de momentos de emoção completamente inversa, o Palmeiras saiu vencedor da peleja no campo molhado contra um dos times ‘menos fracos’ da Série B. Que é obrigação do Verdão vencer a maioria das partidas e subir com folga ninguém discorda e vencer os jogos contra concorrentes diretos é imprescindível. Mas o que fez hoje não deixa de ser relevante, já que há mais de um ano o time não vencia de virada – a última vez fora contra o próprio Figueirense no primeiro turno do BR-2012, 3 a 1 em Barueri.

No começo da partida o Palmeiras demonstrava calma e uma boa organização de jogadas, apesar de não chutar a gol ficava nítido que o alviverde controlava as ações ofensivas. Numa bobeada da zaga do Figueira Valdívia apareceu na cara do goleiro e sofreu penalti, na derradeira partida Vinícius foi o batedor, hoje quem botou a bola debaixo do braço e disse ‘deixa comigo’ foi Leandro, alguns lembraram que ele já havia perdido um penalti contra o Santos no Paulistão 2013, mas parece que Gilson Kleina não… o camisa 38 mandou a bola muito longe do gol e poucos minutos depois o rival da tarde abriu o placar num daqueles gols em que não dá pra acreditar. O primeiro tempo acabou com o Palmeiras desordenado, desorientado e porque não, desesperado.

Pra segunda metade Gilson Kleina mandou Alan Kardec no lugar de Charles, com Araújo permanecendo em campo, promovendo a estréia do camisa 14. Nos primeiros minutos não surtiu grande efeito e o Palmeiras continuava meio perdido, até que em chute de Vinícius o empate veio e o time sossegou, botou a bola no chão (ou no ar) e chegou a virada, depois de André Rocha enfiar o pé em Valdívia e ser expulso, bola cruzada na área e cabeceio de André Luiz, cabeçada de manual, bola no chão e no fundo da rede. No entanto existe uma velha maldição que ronda o Palmeiras e não demorou muito para Ricardo Bueno reforçar a lenda e guardar o empate, com Araújo estático bem próximo a ele. O cenário voltou a ficar obscuro com um empate apesar de ter um jogador a mais e Gilson Kleina mexendo no time de uma maneira, digamos, questionável. Foi quando ‘a magia’ se fez e Valdívia marcou seu 35º gol com a camisa do Palmeiras. Ronny cruzou bem para Kardec que mandou bela cabeçada no pé da trave, na sobra o 10 apareceu escorando. Fim de jogo, 3 pontos, liderança provisória e uma certeza quase tangível de que o time subirá.

Mas é preciso destacar que o sufoco poderia ter sido menor, o time aparenta estar bem ‘ensaiado’ só que com os atores errados, a melhora do time depois da saída de Vinícius e entrada de Ronny foi nítida, bem como a presença de Márcio Araújo não se justificou, chegando a deixar Charles de fora, outro ponto importante é a não presença de Mendieta, apesar da baixa condição física provavelmente ele deve formar um meio campo melhor que o famigerado ‘3 volantes’ do Seo Gilso. Quanto a defesa é cristalina a necessidade de um zagueiro mais confiável, não é porque fez gol hoje que André Luiz seja o zagueiro ideal, lento e perdido na marcação, ainda na defesa Juninho também não pode mais ser mantido, por quê Fernandinho não joga?

Vamos às notas:

Fernando Prass: Não que tenha falhado, mas a rebatida do 2º gol catarinense foi estranha. – 7
Luis Felipe: Hoje não se destacou tanto, mas não dá pra esperar que seja destaque todos os jogos – 6
André Luiz: Nada além do gol, parece estar sempre atrasado – 5
Vilson: Compensou a falta de ritmo com a vontade, limpou tudo que apareceu por ali – 7
Juninho: Péssimo, errando passes, cruzamentos infrutíferos e medo do adversário – 4
Márcio Araújo: Pregado quase na linha fatal no 2º gol catarinense – 4
Charles: Não estava conseguindo organizar a saída de bola da defesa pro ataque no primeiro tempo – 5
Wesley: Na maior parte do tempo está fora de sua posição de origem, mas foi bem, cruzou a bola da virada – 7
Valdívia: Reclamou bastante, errou alguns passes, acertou vários, arrumou penalti, expulsão, aos poucos está realmente de volta – 9
Vinícius: Fez um gol por acaso (ainda teve desvio do Vilson) e errou todo o restante – 5
Leandro: Hoje merece uma péssima nota: displicente no penalti e sumido no jogo todo – ZERO

Alan Kardec: Boa estréia, alguma dificuldade no entrosamento mas demonstrou que sabe fazer pivô e cabecear – 7
Ananias: Entrou pra melhorar a saída de bola, mas acabou só tomando amarelo mesmo – 4
Ronny: Mudou o jogo, acelerou as jogadas pela esquerda, descolou o cruzamento pro 3º gol e ainda fez algumas jogadas de efeito – 8

Gilson Kleina: Consertou o time com as substituições (menos a do Ananias), mas poderia ter escalado melhor já do início, não? – 6

Melhores Momentos:

FICHA TÉCNICA

FIGUEIRENSE 2 X 3 PALMEIRAS


Local: Orlando Scarpelli, Florianópolis (SC)
Data e Hora: 20/7/2013 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Marcos André Gomes da Penha (ES)
Auxiliares: Katiuscia M. Berger Mendonça (ES) e Ramires Santos Candido (ES)

Renda/Público: 
Não disponíveis
Cartões Amarelos: 
André Rocha, Ricardinho, Nem (FIG); Alan Kardec, Valdívia, Ananias (PAL)
Cartões Vermelhos: – 
André Rocha
GOLS:  
Rafael Costa, 29’/1ºT (1-0); Vinícius, 11’/2ºT (1-1);  André Luiz, 26’/2ºT (1-2); Ricardo Bueno, 30’/2ºT (2-2); Valdivia, 42’/2ºT (2-3)

FIGUEIRENSE: Thiago Volpi; André Rocha, Bruno Pires, Thiego e Wellington Saci; Nem, Dener, Maylson (Willian – 20’/2ºT) e Ricardinho (Marcelo Toscano – 23’/2ºT); Ricardo Bueno e Rafael Costa (Tinga – 27’/2ºT). Técnico: Adilson Batista.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Luis Felipe, Vilson, André Luiz e Juninho; Márcio Araújo, Charles (Alan Kardec – intervalo), Wesley e Valdivia; Vinicius (Ronny – 37’2ºT) e Leandro (Ananias – 28’/2ºT). Técnico: Gilson Kleina.

Read Full Post »

Escoltado. Bem apropriado.

Escoltado. Bem apropriado.

Por: Álvaro @atgsilva

Nem há muito para se falar a respeito do suposto jogo que aconteceu hoje na Ilha do Retiro. Já para questionar existem pelo menos 4 questões essenciais e uma constatação:

1 – Até quando Caio perderá gols impunemente? será que alguém da diretoria tem visto os jogos? não se vê sequer cogitação de contratação de atacante (renovar com Kléber só pode ser piada).

2 – A inspeção da CBF passou pela Ilha do Retiro antes da liberação desse ‘estádio’ para a Série B? A chuva cessou no intervalo e a água seguiu empoçada até o fim da partida. E lá deverá ficar até o sol sair. Drenagem?

3 – Dadas as condições do ‘alagramado’ seria louvável a prática das bolas aéreas e tiros de fora da área. Caio arriscou um no segundo tempo, e o Sr. Ayrton bateu mal todas as faltas e escanteios possíveis. Inclusive o imediatamente antes do fatídico gol do Sport. Será que desaprendeu?

4 – Por que o Palmeiras é sistematicamente roubado e nada acontece com os envolvidos? será que é o único clube do Brasil sem trabalho de bastidores? alguém precisa começar esse trabalho urgentemente, gestão após gestão acontecem erros absurdos de arbitragem e na dúvida sempre é pró-adversário. No lance do gol recifense Márcio Araújo NÃO tocou para escanteio, fizeram falta em Bruno e Nunes CARREGOU a bola com a mão antes de fuzilar para as redes. TUDO avalizado pelo árbitro. Não é possível…

A constatação é que apesar de hoje não servir de parâmetro para nada dadas as condições adversas do gramado, temos que lembrar que os jogos não são previsíveis e o Palmeiras precisa estar preparado para vencê-los independentemente do que aconteça, se os gols tivessem sido feitos o erro do árbitro seria só um detalhe, caso sempre encontrem uma desculpa para as derrotas, o repertório para justificar o não-acesso estará pronto, esse roteiro não é o esperado pela torcida para 2013.

O Palmeiras tem a simples OBRIGAÇÃO de voltar para a série A e até agora tem patinado em vários aspectos, faltam reforços, faltam bastidores, o técnico insiste em erros que conhecemos há meses e em 5 jogos já temos 2 derrotas. Ainda é cedo, ainda resta tempo, a pergunta é: deixarão chegar no fim do campeonato precisando fazer contas, como foi no ano passado? ACORDEM, o tempo não para de passar.

Aqui só um breve comentário: O campo alagado, a falta de qualidade do elenco, a insegurança do goleiro (hoje salvou um gol certo no 1ºT), tudo já estava pesando a favor do Sport, mas quando entrou o desgraçado do Nunes o cenário se tornou mais obscuro, no momento em que aconteceu a marcação do escanteio no último lance do jogo o velho filme passou na frente dos olhos antes da cobrança, é uma sina que persegue o Palmeiras ou é pura incompetência? Quantas vezes já tomamos esse gol maldito no último minuto?

O Palmeiras precisa estar pronto para vencer toda e qualquer partida, independente do adversário, das condições do gramado ou do juiz, ou tem algum time maior que o Palmeiras na série B?

Notas:

Bruno: Salvou um gol certo no 1ºT e apesar de ter sofrido falta no gol deles, saiu mal demais – 5
Ayrton: errou só TODOS os lances – ZERO
Maurício Ramos – a insistência do ‘Seo Gilso’ nem Freud explica, as espanadas de sempre e mais 90 minutos de panico – 3
Henrique – depois que foi adiantado melhorou – 5
Juninho – tentou driblar e carregar a bola como nunca, num gramado onde isso era impossível – 3
Márcio Araújo – foi um dos melhores em campo (??!) mas é tão zicado que foi um dos protagonistas da derrota – 4
Charles – discreto, não tinha muito quem ou o que marcar – 4
Tiago Real – péssimo, tentando carregar a bola e dar passes rasteiros, não pode ser o articulador do time – ZERO
Leandro – poderia ter arriscado mais chutes de longe, caiu muito pelas pontas e matou as tabelas com Vinícius – 4
Vinícius – nulo, talvez nunca tivesse jogado num campo encharcado – ZERO
Caio – o campo não estava alagado no momento que perdeu mais um gol feito, errou todo o resto – ZERO

André Luiz – entrou pra cumprir função tática – 4
Serginho – apesar de não ter o perfil para o alagado, foi o melhor nos toques de bola por cima – 6
Fernandinho – no tempo que teve tentou arrumar alguma coisa para o Caio, ai é que mora o problema – 6

Gilson Kleina – teima em armar o mesmo time sempre, apesar das más apresentações, vamos aguardar a parada para a Copa das Confederações e a chegada de alguns reforços, ainda que nenhum nome inspire devaneios na torcida – 3

Lances:

FICHA TÉCNICA

SPORT X PALMEIRAS

Local: Ilha do Retiro, em Recife (PE)
Data/Hora: 8/6/2013, às 16h20
Árbitro: Wagner Reway
Auxiliares: Paulo César Silva Faria e Fabio Rodrigo Rubinho

Renda/Público: R$ 347.565,00/ 21726
Cartões amarelos:  Marcelo Cordeiro, Rithely, Nunes (SPOR); Leandro, Ayrton, Juninho (PAL)
Cartões vermelhos: Márcio Araújo (PAL)

GOLS: Nunes 47’/2ºT (1-0)

SPORT: Magrão; Rithely, Gabriel, Tobi e Marcelo Cordeiro; Renan Teixeira (Maurício – 37/2ºT), Anderson Pedra, Lucas Lima (Nunes – 9’/2ºT) e Camilo; Felipe Azevedo e Marcos Aurélio – Técnico: Marcelo Martelotte.

PALMEIRAS: Bruno; Ayrton, Henrique, Maurício Ramos e Juninho; Márcio Araújo, Charles (Fernandinho – 27’/2ºT) e Tiago Real; Leandro (André Luiz – intervalo), Caio e Vinicius (Serginho – 13’/2ºT) – Técnico: Gilson Kleina

Read Full Post »