Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Atlético-PR’

CAPXSEP

Os 90 minutos finais do duelo das oitavas. Será que a vantagem magra será suficiente?

Horário e local: quarta-feira (28/08), as 21:50, na Vila Capanema (Sportv).

Árbitro: será Ricardo Marques Ribeiro (MG), cujo histórico registra 8 jogos, com 3V/3E/2D:

2013 – 2×0 América-RN (B, f)

2012 – 1×1 Coritiba (BR,f) / 1×1 Grêmio (CB,c) / 2×0 Atl-PR (CB,c)

2011 – 1×2 Figueirense (BR,c) / 0×0 Grêmio (BR,c)

2009 – 1×0 Fluminense (BR,c)

2008 – 0×2 Coritiba (BR,f)

Desfalques/Reforços: Valdivia, Ananias e Vinícius, lesionados, ficam de fora. Leandro está recuperado e fica a disposição. Não há suspensos.

Pendurados: nenhum. Próxima partida:  Ceará (fora). Pela CB, caso avancemos, será o vencedor de Inter x Salgueiro.

Bola verde IPE: só haverá premiação se a equipe passar das oitavas de final.

Previsão IPE: Prass; L.Felipe, Vilson, Henrique e Juninho; Araújo, Charles, Wesley e Mendieta; Leandro e Alan Kardec.

Destaques/Atl-PR: o atacante Marcelo foi poupado das atividades da semana mas está apto a atuar. O volante Bruno Silva já atuou na Copa do Brasil pela Ponte Preta e fica impedido de atuar. O lateral direito Léo está recuperado de lesão e volta a equipe. Paulo Baier, que foi poupado no jogo de ida, é outro a reforçar a equipe. Vagner Mancini não revelou a escalação e deixou no ar a possibilidade de atuar com três atacantes. A provável escalação do Furacão deverá ter Weverton; Léo, Manoel, Luiz Alberto e Pedro Botelho; João Paulo, Zezinho, Paulo Baier e Everton; Dellatorre (Marcelo) e Ederson.

Ex-palmeirenses no Atlético-PR: os meias Felipe e Paulo Baier.

Olho nele: a dupla Marcelo e Ederson infernizou a vida de nossa zaga no jogo de ida.

Palpite IPE: em uma verdadeira batalha, o Palmeiras sai atrás mas busca o empate no fim do jogo – 1×1 – gol de Alan Kardec.

Último confronto: foi a vitória no jogo de ida, semana passada – 1×0 – gol de Vilson.

Última vitória no Paraná: foi pelo BR2008, com direito a show de Diego Souza – 2×1.

Última derrota no Paraná:  foi pelo BR2010 – 0x1 – gol de Nieto.

Histórico:

GERAL COPA DO BRASIL
J V E D GP GC J V E D GP GC
44 23 14 7 66 45 7 5 2 0 11 4

O IPE não se lembra: se na Arena da Baixada o Palmeiras nunca tem vida fácil (são 11 jogos e apenas 1 vitória), o mesmo não se pode dizer da Vila Capanema, onde estamos invictos contra o Furacão. No total são 3 jogos, com 2 empates e 1 vitória – 3×1 – pelo Brasileiro 1968, gols de Artime (2) e César Maluco.

Read Full Post »

O gol do jogo

O gol do jogo

O campeão finalmente estreou na Copa do Brasil 2013, e com um bom resultado dada a situação. Tendo o privilégio de estrear já nas oitavas, e o azar de ter pela frente um time em ascensão no Brasileirão Série A, o Palmeiras foi para cima do Atlético-PR e marcou ainda no início da primeira etapa. O time paranaense esteve o tempo todo bem próximo do empate, especialmente no segundo tempo. No entanto a sorte estava de verde e no derradeiro trilar do apito o placar apontava a vitória do Verdão: 1×0 e agora existem 3 placares que garantem o Palmeiras nas quartas de final: 0x0, qualquer empate com gols e o CAP 2 x 1 SEP.

O Palmeiras iniciou o jogo sem tomar conhecimento do adversário e nos primeiros minutos instalou uma blitz na defesa do Atlético-PR, e logo aos 3 minutos Vilson testou para o fundo das redes, o gol deu ânimo para o ataque alviverde que prosseguiu investindo contra o goleiro Weverton, e foi ai que começou a pesar a falta de elementos de grande qualidade no ataque palmeirense. Ananias é voluntarioso mas definitivamente precisa treinar finalizações, com Leandro fora de combate por lombalgia a responsabilidade pelas melhores finalizações sobrou para Alan Kardec, e no dia que não ‘baixa o espírito’ nele, não tem jeito. O Atlético-PR perdeu duas boas chances, uma cara a cara com Prass que fez uma excelente defesa com os pés.

Na volta do intervalo o treinador rubro-negro mandou Ederson pra campo e o vice-artilheiro da Série A perdeu grande chance batendo rente a trave alviverde, pelo lado palmeirense Luis Felipe resolveu entrar em campo pra valer e equilibrou um pouco as ações pelo lado direito, enquanto Juninho ‘juninhava’ pela esquerda, o Atlético deitava e rolava por ali e ameaçava frequentemente a meta alviverde, por sua vez o ataque palmeirense não conseguia mandar a bola dentro do gol atleticano, Gilson Kleina demorou a mexer no time e quando o fez mostrou que estava mais que satisfeito com o resultado e mandou Eguren no lugar de Charles, a mudança não surtiu muito efeito e o empate parecia mesmo iminente, não faltou raça ao Verdão para segurar o placar, no finalzinho duas grandes chances desperdiçadas que poderiam ter deixado a classificação praticamente assegurada, Ananias cruzou e Ronny não conseguiu escorar cara a cara com o goleiro, na sequência Mendieta fez grande jogada, tabelou com Kardec e pecou na finalização – como em diversas outras durante a partida – e a bola parou no pé do zagueiro.

É nítida a necessidade do time do Palmeiras se compactar melhor e afinar a pontaria no ataque, mas mantendo a vontade de vencer demonstrada e contando com o retorno de Valdívia (já caiu no limbo do DM de novo?) é possível sonhar com a próxima fase da competição onde teremos pela frente o Internacional de Porto Alegre (acreditar no Salgueiro é sacanagem).

Vamos às notas:

Fernando Prass – vive grande fase realmente, belas defesas e sempre muito seguro nas saídas – 9
Luis Felipe – péssimo primeiro tempo, no segundo melhorou o apoio ao ataque – 5
Vilson – além do gol limpou bem a área, ainda bate cabeça com o companheiro de zaga por vezes – 8
Henrique – mal posicionado em alguns lances, jogou sério e não inventou na saída de bola – 7
Juninho – nem ataca nem defende bem, parece ansioso apesar das 1000 partidas com a camisa do clube – 5
Márcio Araújo – vacila muito na saída de bola, ficou mais perdido ainda na esquerda – 5
Wesley – algumas boas jogadas, se apresenta melhor com Valdívia em campo – 7
Charles – tinha perdido a vaga até momentos antes da peleja, não quis saber de brincadeira – 6
Mendieta – alterna grandes jogadas com lentidão e más finalizações, vai melhorar – 7
Ananias – é rápido e se apresenta bastante pro jogo, mas falta melhorar o último passe e nas finalizações – 6
Kardec – fez bons pivôs, hoje não marcou – 7

Eguren – entrou para acalmar a defesa, mas tomou amarelo bobo e tocou a bola pra onde o nariz estivesse virado – 5
Ronny – faltou pouco para fazer o gol que ia dar mais tranquilidade pra volta – 6
Serginho – entrou faltando 40 segundos e ainda assim esticou boa bola pro último ataque, merece mais chances – S/N

Gilson Kleina – demorou pra mexer e quando o fez não conseguiu fazer o time dominar as ações ofensivas – 5

Melhores Momentos:

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 0 ATLÉTICO-PR

Local: Estádio Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data/Horário: 21/08/2013, às 19h30
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Guilherme Dias camilo (MG) e Cleriston Clay (SE)

Renda/público: R$ 801.315,00 / 20.856 pagantes
Cartões amarelos: Mendieta, Eguren e Alan Kardec (PAL); Zezinho, Jonas e Everton (ATP)
Cartões vermelhos: Não houve

GOL: Vilson, 3’/1ºT (0-1)

PALMEIRAS:  Fernando Prass; Luis Felipe, Vilson, Henrique e Juninho (Ronny, 38’/2ºT); Márcio Araújo, Charles (Eguren, 31’/2º), Wesley e Mendieta; Ananias (Serginho, 47’/2ºT) e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina.

ATLÉTICO-PR: Weverton; Léo (Jonas, 31’/1ºT), Manoel, Luiz Alberto e Pedro Botelho; João Paulo, Zezinho, Everton e Elias (Ederson, intervalo); Marcelo e Dellatorre (Felipe, 33’/2ºT). Técnico: Vagner Mancini.

Read Full Post »

sepxcap

Em situações opostas à do ano passado, Palmeiras e Atlético-PR se cruzam novamente na Copa do Brasil. Ano passado, era o Furacão quem estava na série B.

Horário e local: quarta-feira (21/08), as 19:30, no Pacaembu (FOX).

Árbitro: será André Luiz de Freitas e Castro (GO), cujo histórico registra 4 jogos, com 2V/2E:

2012 – 1×1 Flamengo (B,f)

2011 – 1×1 Bahia (BR,c)

2010 – 3×1 Flamengo (BR,f)

2008 – 5×1 Central-PE (CB,f)

Desfalques/Reforços: Valdivia teve constatada uma inflamação no músculo da coxa direita e deve ficar de fora. Vilson e Leandro, com dores, são dúvida. Vinícius está recuperado de lesão e deve ficar a disposição.

Pendurados: nenhum. Próxima partida:  Boa Esporte (Série B, fora). Pela CB, será o jogo de volta contra o próprio Atlético.

Bola verde IPE: só haverá premiação se a equipe passar das oitavas de final.

Previsão IPE: Fernando Prass; Luís Felipe, Tiago Alves, Henrique e Juninho; Araújo, Charles, Wesley e Mendieta; Leandro e Alan Kardec.

Destaques/Atl-PR: apesar de ser o artilheiro da equipe, o atacante Ederson deve seguir na reserva. A provável escalação do furacão deverá ter Weverton; Léo, Manoel, Luiz Alberto e Pedro Botelho; Bruno Silva, João Paulo (Zezinho), Everton e Paulo Baier; Marcelo e Dellatorre.

Ex-palmeirenses no Atlético-PR: os meias Felipe e Paulo Baier.

Olho nele: o atacante Éderson é o artilheiro da equipe e merece atenção, assim como o veterano meia Paulo Baier.

Palpite IPE: chorado e com muito sofrimento – 1×0 – gol de Henrique.

Último confronto: foi também a última vitória em casa, em jogo válido pelas quartas-de-final da CB2012 – 2×0 – gols de Henrique e Luan.

Última derrota em casa: foi pelo BR2007 – 0x2 – gols de Edno e Alex Mineiro.

Histórico: o primeiro confronto da história entre as equipes aconteceu em 1938 e foi válido pelo Torneio do Paraná – 3×1 – gols de Barcelona (2) e Mathias III para o Palmeiras, e Brito para o Atlético-PR.

GERAL COPA DO BRASIL
J V E D GP GC J V E D GP GC
43 22 14 7 65 45 6 4 2 0 10 4

O IPE se lembra: esta será a segunda vez que enfrentamos o Furacão nas oitavas de final da Copa do Brasil. Na primeira, em 2010, também jogamos a primeira em casa e vencemos – 1×0 – gol de Robert.

Read Full Post »

Que venha a semi!

Noite de festa em Barueri. Após treze anos, o Palmeiras volta a garantir presença em uma semi-final de Copa do Brasil.

O primeiro tempo foi de bastante equilíbrio. Ambas as equipes exploravam as jogadas de velocidade. O Palmeiras tentava com Cicinho pela direita e Mazinho pela esquerda. O Atlético, por sua vez, concentrava suas ações pelo lado direito, com Guerrón.

Jogando no contra-ataque, o Atlético se aproveitava dos constantes erros de passe e saídas de jogo afobadas para chegar ao ataque, mas sem perigo real à meta de Bruno. Já o Palmeiras encontrava facilidade para chegar a frente, especialmente pelo lado direito, mas esbarrava em mais uma apresentação infeliz de Cicinho.

A única chance real de gol no primeiro tempo foi de Betinho. Após belo passe diagonal de Valdivia, o estreante da noite invadiu a área em velocidade e chutou rasteiro, em cima do goleiro. O que se viu no restante do primeiro tempo foram seguidos erros do ataque de ambas as equipes.

No segundo tempo, sem Guerrón, o Atlético perdeu a referência no ataque e facilitou a vida do Palmeiras. Com maior volume de jogo e com Valdivia mais ligado do que na primeira etapa, o gol foi amadurecendo.

Felipão então fez as duas mudanças que definiram a partida. Maikon Leite e Luan entraram descansados e mudaram a cara do jogo, imprimindo bastante velocidade pelas pontas.

Foi assim que nasceu o primeiro gol. Maikon Leite aplicou um drible da vaca no zagueiro atleticano e cruzou para Valdivia, que teve calma para passar para Luan, que completou para as redes.

O segundo gol veio em cobrança de escanteio de Maikon Leite, que Valdivia desviou e Henrique completou para o gol – 2×0 – e vaga garantida.

A se lamentar nesta partida o lance bobo que rendeu ao Mago o terceiro cartão amarelo, tirando-o do primeiro jogo da semi. Outro ponto que merece atenção é o alto índice de erros de passe na intermediária da equipe, que acaba proporcionando contra-ataques perigosos ao adversário. Contra um time mais forte (leia-se Grêmio e São Paulo), isso certamente será fatal.

A Copa do Brasil agora dá uma pausa. As semis-finais serão disputadas somente a partir do dia 13 de junho. Tempo para a equipe corrigir os erros e chegar tinindo à decisão.

– Bruno: foi bem nas poucas vezes em que foi exigido – 6

– Cicinho: não conseguiu dar sequência a uma jogada sequer de ataque que participou – 4

– L.Amaro: sem dar sustos, passou um pouco de sufoco com os erros na saída de bola da equipe mas não comprometeu – 7

– Henrique: seguro na defesa, ainda deixou o dele no ataque – 8

– Juninho: sofreu no primeiro tempo com Guerrón, e no segundo com Edigar – 5

– Araújo: abusou nos erros de saída de bola – 5

– Assunção: idem a M.Araújo – 5

– J.Vitor: mais preso à marcação, foi bem. Sofreu penalti que o juiz ignorou – 6

– Valdivia: foi melhorando durante a partida e distribuiu bons passes. Pecou nos dribles e tomou um cartão bobo que o tira da partida de ida da semi-final – 6,5

– Mazinho: esforçado mas sem inspiração – 5,5

– Betinho: dizem que a primeira impressão é a que fica…. poís é – 4

– Luan: entrou e fez o dele – 7

– Maikon Leite: participou da jogada dos dois gols – 7

– Patrik: mal pegou na bola, fica sem nota.

– Felipão: mexeu bem na equipe. Precisa arrumar a saída de jogo e alertar a equipe nas segundas bolas, que sempre caem no pé do adversário – 7

– Arbitragem: impressionante. Até escanteio a juizada anda roubando da gente. Penalti então, melhor não comentar.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 2X0 ATLÉTICO-PR

Estádio: Arena Barueri, em São Paulo (SP)
Data/hora: 22/5/2012 – 19h30
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Auxiliares: Marcos Eustaquio Santiago (Fifa-MG) e Cleriston Clay Barreto (SE)

Renda e público: R$ 460.195,00 / 17.574 pagantes
Cartões amarelos: João Vitor, Betinho e Valdivia (Palmeiras); Zezinho (Atlético-PR)
GOLS: Luan, 23’/2ºT (1-0); Henrique, 37’/2ºT (2-0)

PALMEIRAS: Bruno, Cicinho, Leandro Amaro, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Marcos Assunção, João Vitor (Patrik, 39’/2ºT), Valdivia e Mazinho (Maikon Leite, 21’/2ºT); Betinho (Luan, 15’/2ºT). Técnico: Luiz Felipe Scolari

ATLÉTICO-PR: Rodolfo, Pablo, Manoel, Renan Foguinho e Heracles (Gabriel Marques, 33’/2ºT); Deivid, Alan Bahia, Zezinho e Martín Ligüera; Guerrón (Edgar Junio, intervalo) e Bruno Mineiro. Técnico: Juan Carrasco.

Read Full Post »

O Palmeiras vai a campo nesta quarta-feira atrás de um feito que não se repete desde 1999: avançar à semi-final da Copa do Brasil. Com o empate em 2×2 no jogo de ida, o Palmeiras pode empatar por 0x0 e 1×1, que estará classificado.

Horário e local: Quarta-feira, 23/05, as 19:30, na Arena Barueri (Sportv/ESPN Brasil)

Árbitro: será Ricardo Marques Ribeiro (MG), cujo histórico registra:

2011 – 0x0 Grêmio (BR, c) / 1×2 Figueirense (BR, c)

2009 – 1×0 Fluminense (BR, c)

2008 – 0x2 Coritiba (BR, f)

Desfalques/Reforços: Barcos está suspenso pelo terceiro amarelo. Daniel Carvalho saiu contudido do último jogo e ainda é dúvida. L.Amaro, que também saiu lesionado, tem poucas chances de ser relacionado. O atacante Betinho teve sua documentação regularizada e está liberado.

Pendurados: Cicinho e Valdivia. Próxima partida: se nos classificarmos, será o vencedor do duelo Grêmio x Bahia. Na partida de ida, em Salvador, deu Grêmio (2×1).

Previsão IPE: Bruno; Cicinho, Henrique, Maurício Ramos e Juninho; Araújo, Assunção, J.Vitor e Valdivia; Luan e Maikon Leite (Betinho).

Destaques/Atlético-PR: vindo de vitória na estreia da série B (4×1 Joinville), o Furacão não poderá contar com o zagueiro Bruno Costa, lesionado. Além deste, o lateral direito Gabriel Marques, também se recuperando de lesão, está praticamente vetado. Já na lateral esquerda, Heracles está recuperado de lesão e volta à equipe, liberando Zezinho para atuar no meio. Poupado, o meia Paulo Baier também está fora do confronto. O técnico Juan Carrasco fez testes na equipe e, se mantiver a escalação do último treino antes da decisão, deverá deixar Guerrón no banco, indo a campo com Rodolfo; Pablo, Manoel, Renan e Heracles; Deivid, Alan Bahia, Liguera e Zezinho; Edigar e Bruno Mineiro.

Ex-palmeirenses no Atlético: o atacante Fernandão (que jogou alguns minutos da CB pelo Palmeiras e por isso fica fora) e o meia Paulo Baier.

Palpite IPE: 2×1, gols de Assunção e Henrique (PAL), e Bruno Mineiro (ATP).

Último confronto no local do jogo: será a primeira vez na história que o Palmeiras enfrenta o Atlético-PR na Arena Barueri.

Última vitória em SP: foi pelo BR-2011 – 1×0 – gol de Chico.

Última derrota em SP: foi pelo BR-2007 – 0x2 – gols de Edno e Alex Mineiro.

Histórico: O Palmeiras jamais perdeu para o Atlético-PR na Copa do Brasil (M-E-D-O).

GERAL COPA DO BRASIL
J V E D GP GC J V E D GP GC
42 21 14 7 63 45 4 3 2 0 8 4

O IPE se lembra: na primeira vez que Palmeiras e Atlético se cruzaram na Copa do Brasil, em São Paulo, vitória verde por 3×1, gols de Cuca e Evair (2) para o Palmeiras, e Reinaldo para o Atlético.

Read Full Post »

Desencantou

* Corrigido em 17/05, às 13:55

Fim dos primeiros 90 minutos das quartas-de-final.  O Palmeiras volta do Paraná trazendo um empate com dois gols marcados fora de casa. Um resultado muito bom, ainda mais se levado em consideração o primeiro tempo da equipe, em especial, o desempenho da zaga esmeraldina.

Logo de cara as escalações deram o tom exato do que aconteceria no primeiro tempo. Enquanto o Atlético foi a campo com três atacantes, o Palmeiras também foi a campo com três… volantes.

O equilíbrio da partida não durou mais do que 10 minutos. O Atlético, com maior volume no ataque, não demorou a dominar a partida. Já o Palmeiras, mesmo com três volantes em campo, não conseguia dominar o meio-campo.

Com seguidos erros na saída de bola e com opções limitadas no ataque, o Palmeiras sofria com as investidas velozes do Atlético, sempre pelas laterais, com Guerrón e Edgar Junio.

O esquema demasiadamente cauteloso – para não dizer retrancado – dificulta imensamente as jogadas de ataque do Palmeiras. Valdivia e Barcos ficam na dependência da inspiração dos laterais, o que não tem acontecido há tempos, e acaba sobrando para os volantes, em especial João Vitor, chegar no auxílio ao ataque. Dois lances do primeiro tempo mostram porque jogar com três volantes é uma afronta às tradições da Academia.

No primeiro deles, Valdivia mostrou boa visão de jogo e da lateral esquerda descolou boa virada de jogo para João Vitor, que errou a jogada na sequência. Fosse um jogador de ataque ao invés de um volante, teria partido para cima e feito o gol. No outro lance, Deivid dominou uma bola na intermediária defensiva e avançou sem qualquer tipo de marcação até a intermediária ofensiva.

Com o domínio da partida, o Atlético não demorou a abrir o placar. Bruno ficou de boca aberta olhando a bola cruzar toda a área, o jogador atleticano escorou e Bruno Mineiro cabeçou para as redes.

A partida seguiu com domínio do adversário mas quem marcou foi o Palmeiras. Em jogada de Valdivia, Barcos recebeu dentro da área, limpou o zagueiro e empatou a partida com categoria, após quatro jogos sem marcar.

O Palmeiras ainda comemorava quando o Atlético ficou novamente na frente. Em jogada de velocidade pela ponta, cruzamento rasteiro para trás para o gol de Edgar Junio.

O que se viu até o fim do primeiro tempo foi um festival de chances perdidas pelo Atlético. Não fosse a falta de pontaria e lentidão em alguns lances do ataque atleticano, e poderíamos ter ido para o intervalo perdendo por até 4×1.

O começo do segundo tempo teve dois lances marcantes. No primeiro deles, o técnico uruguaio Juan Carrasco pôs a mão na garganta de Valdivia, em um lance de lateral, e foi expulso de campo. Em outro lance, Barcos tomou um cartão besta que lhe custará o bicho da partida de volta, semana que vem.

Felipão resolveu mexer na equipe e, fazendo o simples, mudou o panorama da partida. As entradas de Luan e Maikon Leite tiveram o resultado óbvio: com mais alternativas no ataque, o Palmeiras sufocou o Atlético em seu campo, forçando o erro na saída de bola do furacão.

Não demorou e veio o empate. Maikon Leite acertou um belo chute de canhota, de fora da área, e marcou um golaço. A equipe ainda teve a chance de sair de campo com a vitória, mas assim como o Atlético no primeiro tempo, pecou na hora de finalizar.

A equipe agora volta as atenções para o início do Campeonato Brasileiro contra a Portuguesa, mas sem tirar da cabeça a partida de volta, quarta que vem. Vamos às notas:

– Bruno: ficou olhando a bola cruzar toda a área no primeiro gol do Atlético. No segundo tempo fez uma bela defesa em chute de longa distância – 6

– Cicinho: pouco apareceu no ataque e não passa confiança na defesa. Seu futebol sumiu, impressionante. Artur não merece uma chance? – 4

– L.Amaro: lento, sem tempo de bola e afobado. Não é a toa que virou reserva. Sorte que o ataque do Atlético estava com o pé torto – 4

– M.Ramos: melhor que o companheiro de zaga, mas sozinho não tem como segurar a bronca – 5

– Juninho: passou aperto com Guerrón. Precisa voltar a ser mais efetivo no ataque – 5

– Araújo: foi bem na proteção da zaga e nas antecipações de bola – 6,5

– Assunção: errou muitos passes na saída de bola, proporcionando contra-ataques ao Atlético – 4,5

– João Vitor: não é mau jogador, mas não se pode esperar dele a qualidade de um meia-atacante. Jogando nesta função, vai acabar queimado com a torcida – 5

– Valdivia: reclama demais com o árbitro. Tem melhorado a cada partida, mas em ritmo lento – 6,5

– Mazinho: apagado, pouco produziu – 5

– Barcos: teve duas chances claras e deixou o dele, do jeito que se espera de um centroavante. Tomou um cartão amarelo bobo, totalmente evitável e que, além de tirá-lo do jogo de volta, vai pesar na nota de aqui – 7

– Luan: sua entrada juntamente com Maikon Leite deu o domínio da partida ao Palmeiras – 6

– Maikon Leite: entrou e mostrou ter aquela estrela do famoso “jogador de segundo tempo”. Na segunda vez que tocou na bola, fez um golaço – 7

– Román: entrou no lugar do M.Ramos e não comprometeu. Não é possível que ele seja pior que a dupla que jogou hoje – 6

– Felipão: As entradas de Luan e Maikon Leite deram o domínio da partida ao Palmeiras. Viu como é fácil fazer o óbvio!? – 6

– Arbitragem: péssima, fraca e confusa. Teve de tudo. Dois penaltis para o Palmeiras e um para o Atlético, todos ignorados. Um toco na bola de Cleberson em cobrança de falta de Assunção, também ignorado. E “por fim”, o segundo gol do Atlético, em impedimento claro, na cara do bandeira.

– Muller/Sportv:  – Até quando? Criticou o Palmeiras o jogo todo. Vaticinou que o segundo gol do Atlético havia sido legal e quando a imagem o desmentiu por completo se enrolou, tentou brigar com a imagem dizendo que estava “um pouco a frente”, chegando até a engasgar. Patético.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-PR 2  x 2 PALMEIRAS

Local: Durival de Britto, Curitiba (PR)
Data/Hora: 16/5/2012 – 19h30
Árbitro: Paulo Henrique Godoy Bezerra (SC)
Assistentes: Márcio E. Santiago (MG) e Ângelo Rudimar Bechi (SC)

Cartões Amarelos: Cleberson e Deivid (CAP); Cicinho, Valdivia e Barcos (PAL)
Cartões Vermelhos:
Público/renda: 7.307 pagantes / R$ 166.230,00
GOLS: Bruno Mineiro, 16’/1ºT (1-0); Barcos, 21’/1ºT (1-1); Edigar Junio, 22’/1ºT (2-1); Maikon Leite, 14’/2ºT (2-2)

ATLÉTICO-PR: Rodolfo, Cleberson (Pablo – intervalo), Manoel, Renan Foguinho e Zezinho; Deivid, Alan Bahia e Ligüera; Bruno Mineiro, Guerrón (Ricardinho – 23’/2ºT) e Edigar Junio. Técnico: Juan Carrasco.

PALMEIRAS: Bruno, Cicinho (Luan – 11’/2ºT), Leandro Amaro, Maurício Ramos (Román – 37’/2ºT) e Juninho; Márcio Araújo, Marcos Assunção, João Vítor e Valdivia; Mazinho (Maikon Leite – 11’/2ºT) e Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Read Full Post »

A semana que tinha tudo para ser tranquila após os 4×0 frente ao Paraná se transformou em mais uma Ópera. No meio de toda a polêmica criada pelas declarações de Felipão, a equipe vai a campo para a primeira partida das quartas-de-final da Copa do Brasil. O adversário é o Atlético-PR, que no final de semana perdeu o título paranaense, nos penaltis, para o Coritiba. Um bom termômetro para sabermos se as declarações do técnico respingaram no elenco.

Horário e local: Quarta-feira, 16/05, as 19:30, no estádio Vila Capanema (Sportv/ESPN Brasil)

Árbitro: será Paulo Henrique Bezerra (SC), cujo histórico registra apenas duas partidas pelo campeonato Brasileiro:

2010 – 4×2 Grêmio (c)

2006 – 4×2 Paraná (c)

Desfalques/Reforços: o único desfalque fica por conta de Henrique, expulso contra o Paraná. Não há lesionados. Luan está liberado após cumprir 5 jogos de suspensão pela expulsão na última rodada do BR-2011.

Pendurados: Barcos. Próxima partida: será o jogo de volta contra Atlético-PR, na Arena Barueri.

Se o IPE fosse o técnico: Bruno; Artur, Thiago Heleno, M.Ramos e Juninho; M.Araújo, M.Assunção, Mazinho e Valdivia; Luan e Barcos.

Destaques/Atlético-PR: Fernandão, recém-saído do Palmeiras, não pode atuar pelo Atlético pois já jogou na Copa do Brasil. Não há suspensos, mas o time tem quatro jogadores pendurados: Liguera, Zezinho, Renan Teixeira e Guerrón. O zagueiro Bruno Costa, com dores, está vetado. Além dele, os laterais Heracles e Gabriel Marques se recuperam de lesão e são dúvida. Já o atacante Patrik, que não estava inscrito no campeonato paranaense, está liberado para atuar pela Copa do Brasil. Sendo assim, a provável escalação deverá ter Rodolfo; Pablo, Manoel, Rafael e Paulo Otávio; Deivid, Renan, Liguera e P.Baier; Guerrón e Bruno Furlan.

Ex-palmeirenses no Atlético: o atacante Fernandão e os meias Paulo Baier e Marcinho.

Palpite IPE: 1×1, Mazinho para o Palmeiras e Guerrón para o Atlético.

Último confronto no local do jogo: a última vez que enfrentamos o Atlético na Vila Capanema foi em 1972, em um amistoso que terminou empatado por 3×3, gols de Fedato, Madurga e Ademir da Guia.

Última vitória no local do jogo: foi pelo Robertão-1968 – 3×1 – gols de Artime (2) e César Maluco.

Última derrota no local do jogo: o Palmeiras só enfrentou o Atl-PR na Vila Capanema duas vezes (já descritas acima), portanto, nunca perdemos para eles no palco da próxima quarta.

Histórico: Será a terceira vez que cruzamos o Atlético-PR na Copa do Brasil. Na duas primeiras, passamos sem dificuldade, e estamos invictos.

GERAL COPA DO BRASIL
J V E D GP GC J V E D GP GC
41 21 13 7 61 43 4 3 1 0 6 2

O IPE se lembra: a primeira vez que Palmeiras e Atlético se cruzaram na Copa do Brasil foi em 1992, também pelas quartas-de-final. No jogo de ida, vitória verde por 1×0, gol de Toninho.

Read Full Post »